sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

CINEMA NAS FÉRIAS


Todo mundo que curte cinema de verdade, cinema arte, reclama das salas e da programação dos cinemões que temos a disposição, mas para além de críticas estéticas e filosófica que poderia fazer confio que "tudo vale a pena quando a alma não é pequena" (Pessoa), segue alguns filmes em cartaz no Cinema de Itajaí

Valores*Meia entradaSábado,Domingo e FeriadosR$ 10,00R$ 5,00Demais DiasR$ 10,00R$ 5,00QuartaR$ 5,00 ******

CONFIRA NO SITE A PROGRAMAÇÃO NA SUA CIDADE

http://www.arcoiriscinemas.com.br/

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

DICA DE CINEMA PRO FIM DE SEMANA O Pequeno Italiano



Sinopse
O menino Vanya (Kolya Spiridonov), de seis anos, vive em orfanato na Rússia. Em breve, será adotado por um casal de italianos, daí o apelido dado por seus colegas, o pequeno italiano. Até que uma jovem mulher aparece na instituição, desejando reaver seu filho. Vanya acredita que sua mãe também pode tentar buscá-lo algum dia. Com essa idéia em mente, Vanya parte para sua longa jornada em busca da mãe.



Informações Técnicas
Título no Brasil: O Pequeno Italiano
Título Original: Italianetz / The Italian
País de Origem: Rússia
Gênero: Drama
Classificação etária: 12 anos
Tempo de Duração: 99 minutos
Ano de Lançamento: 2005
Estréia no Brasil: 24/08/2007
Site Oficial: http://www.sonyclassics.com/theital ian/
Estúdio/Distrib.: California Filmes
Direção: Andrei Kravchuk

Lei do Audiovisual

Prorrogação do art.1º foi incluída em duas MPs em tramitação no Congresso Nacional

O Congresso Nacional deve aprovar, antes do recesso parlamentar, a prorrogação do vencimento do artigo 1º da Lei do Audiovisual (8.685/93) de 2010 para 2016. Com isso, os contribuintes terão garantido o direito – até o exercício fiscal de 2016, inclusive, – de deduzir do imposto de renda, os valores investidos em produção de obras audiovisuais cinematográficas brasileiras. A prorrogação do artigo consta de duas medidas provisórias que tramitam nas duas casas (Câmara e Senado) e serão aprovadas como projeto de lei de conversão.

A prorrogação do artigo 1º da Lei nº 8.685/93 foi incluída na Medida Provisória nº 501/2010, por parecer da deputada Solange Almeida (PMDB-RJ) aprovado na última quarta-feira (08/12) pelo Plenário da Câmara, e na MP nº 499/2010, que tramita no Senado e tem como relator o senador Romero Jucá (PMDB- RR). A prorrogação só terá efeito legal depois que uma das medidas for aprovada – nas duas casas – e sancionada pelo presidente da República. Enquanto a MP 501 segue para o Senado [caso haja alterações dos senadores terá que voltar à Câmara], a MP 499 terá que passar novamente pelo Plenário da Câmara antes da sanção presidencial.

(Texto: Heli Espíndola, Comunicação Social/MinC)

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Iur Gomez é eleito presidente da Cinemateca



Iur Gomez foi eleito ainda há pouco presidente da Cinemateca Catarinense gestão 2011/2012. Na diretoria, Natália Poli (financeiro), Reno Caramori (comunicação) e Leandro Elser (administrativo). O Conselho Fiscal e de Ética será formado por Chico Faganello, Norton Mackowieck e Fernando Leão. Suplentes: Kátia Klock, Chico Caprario e Ilka Goldschmidt. Para o Conselho Municipal de Políticas Culturais de Florianópolis, os representantes são Iur e Carol Gesser. O futuro representande do setor para o Conselho Estadual de Cultura ainda será escolhido. Quanto à publicação em Diário Oficial do Edital Catarinense de Cinema (Prêmio Cinemateca), a questão será conduzida por Sofia Mafalda e Norton. Na imagem do post, Iur e Caprario.

fonte http://www.cine-luz.blogspot.com/

Catarinenses no Conselho de Cineclubes


http://cineclubes.org.br/

Realizada no período de 5 a 9 de dezembro, em Recife (PE), a 28ª Jornada Nacional de Cineclubes elegeu a nova diretoria para o CNC – Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros com a participação de 239 cineclubes em atividade em 26 estados do Brasil. Entre os novos diretores do Conselho, dois representantes de Santa Catarina, Gizely Cesconetto, do Cineclube Laguna, diretora de Memória Adjunta e Reno Luiz Caramori Filho, do Cineclube Independente/SC, Diretor Regional Sul. Mais informações no Observatório de Cineclubistas Brasileiros.

fonte http://www.cine-luz.blogspot.com/

Cerveja Falada no Cine Clube Baiacu de Alguém


Cerveja Falada no Cine Clube Baiacu de Alguém
na quinta-feira 16/12/2010
encerra as atividades do cineclubistas neste ano de 2010

CIMEMA, AÇÃO E CIDADANIA



LUIZ EDUARDO SOARES (EX SECRETÁRIO DE SEGURANÇA NACIONAL) E O ATOR ANDRÉ RAMIRO DO TROPA DE ELITE 2
PARTICIPAM DE DEBATE, EXIBIÇÃO DE FILME E LANÇAMENTO DE LIVRO EM FLORIPA
DIA 16 DE DEZEMBRO, ÁS 19:00 HORAS NO CINE CLUBE SOL DA TERRA

CONSELHO NACIONAL DE CINECLUBES BRASILEIROS TEM NOVA DIRETORIA

Em Assembléia Geral realizada em Recife (PE), no encerramento da 28ª Jornada Nacional de Cineclubes foi eleita a nova diretoria para o CNC – Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros.
Realizada no período de 5 a 9 de dezembro, a 28ª Jornada Nacional de Cineclubes contou com a participação de 239 cineclubes em atividade em 26 estados, que além de elegerem novos dirigentes para a entidade, debateram e aprovaram as diretrizes que devem nortear a ação do movimento cineclubista brasileiro nos próximos dois anos.
O evento contou ainda com a participação de representantes das principais entidades governamentais e não governamentais do setor audiovisual, e ainda, de cineclubistas de 31 países dos cinco continentes, que vieram ao Brasil para participar da 3ª Conferência Mundial de Cineclubismo e da Assembléia Geral da FICC – Federação Internacional de Cineclubes, realizadas paralelamente a Jornada.
Segundo o novo presidente do CNC, Luiz Alberto Cassol “a nova Diretoria deve dar continuidade, aprofundar e fortalecer ainda mais as ações que vêm sendo desenvolvidas pelas sucessivas diretorias que comandaram o CNC nos últimos sete anos, que, para além das metas de reorganização do movimento e reocupação dos espaços institucionais almejados inicialmente, resultaram na transformação do CNC numa das maiores e mais importantes entidades do audiovisual brasileiro na atualidade. Nossas metas continuarão sendo basicamente as mesmas, ou seja, continuaremos lutando intransigentemente pelos direitos do público e pela universalização do acesso aos bens culturais. Pelo respeito às identidades e diversidades culturais e para que o cinema e o audiovisual brasileiro ocupem de forma majoritária todas as telas e janelas existentes no Brasil.”
Cassol destacou que pretende manter e fortalecer ainda mais as parcerias do CNC com todas as demais entidades do audiovisual brasileiro, especialmente as que vêm sendo desenvolvidas com o CBC – Congresso Brasileiro de Cinema, CBDC – Coalizão Brasileira Pela Diversidade Cultural, ABD – Associação Brasileira de Documentaristas e suas seções estaduais e com o Fórum dos Festivais.
Já a Vice-Presidente do CNC, Saskia Sá destacou como metas da nova diretoria a continuidade e consolidação dos principais projetos que vêm sendo desenvolvidos pelo CNC, como o Cine+Cultura, de recuperação da memória do movimento cineclubista brasileiro e da Filmoteca Carlos Vieira.
“Daremos ainda prioridade absoluta a realização de Seminários Estaduais e Nacional sobre a questão do Cinema e do Cineclubismo na Educação e ao acompanhamento da tramitação do projeto de lei do Senador Cristóvan Buarque que trata do tema. Do ponto de vista interno, nossa prioridade será o de ajudarmos a consolidação das entidades cineclubistas estaduais já existentes e a criação de novas entidades nos estados onde ainda não existem, já que entendemos que este é o melhor caminho para a democratização e horizontalização cada vez maior do movimento e do próprio CNC”.
Dentre as propostas aprovadas pelos cineclubistas participantes da 28ª Jornada Nacional de Cineclubes, além das diretrizes tiradas nos GTs que serão organizadas para a publicação dos anais da Jornada, merecem ainda especial destaque:
· O apoio do movimento cineclubista brasileiro a proposta de mudanças na atual lei do Direito Autoral, visando o fortalecimento dos direitos do público;
· O apoio à aprovação pelo Senado do PLC 116 (Nova Lei do Cabo);
· O apoio as políticas públicas voltadas à federalização das ações do MinC;
· O apoio ao projeto de Lei de Reforma da Lei Rouanet atualmente em tramitação na Câmara dos Deputados;
· O apoio ao PNBL – Plano Nacional de Banda Larga;
· A continuidade das lutas pelo aumento da cota de tela no cinemas brasileiros e pela criação de cotas para a produção independente em todas as janelas e plataformas.
Confira abaixo a composição da nova diretoria do CNC
CHAPA NAÇÃO CINECLUBE
Diretoria Executiva:
Presidente: Luiz Alberto Cassol – Cineclube SMVC/RS
Vice-Presidente: Saskia Sá – Cineclube Abd Capixaba/ES
Secretário Geral: Gilvan Veiga Dockhorn – Cineclube Abelin Nas Nuvens/RS
Secretário Adjunto: Lauro Monteiro – Cineclube Paraty/RJ
Tesoureiro: Télcio Brezolin – Cineclube Lanterninha Aurélio/RS
Tesoureiro Adjunto: Mariza Teixeira – Cineclube Vozes Do Morro/ES
Diretor de Articulação Regional: Gê Carvalho - Cineclube Amoeda Digital/PE
Diretor de Articulação Regional Adjunto: Davy Alexandrisky - Cine Olho/RJ
Diretor de Formação: Jorge Conceição – Cineclube Imaginário/BA
Diretor de Formação Adjunto: Isidoro Cruz Neto – Cineclube Projeto Kalu/MA
Diretor de Memória: Nélson Marques – Cineclube Natal/RN
Diretor de Memória Adjunto: Gizely Cesconetto – Cineclube Laguna/SC
Diretor de Acervo e Difusão: Bruno Nunes Cabús – Cineclube Central/ES
Diretor de Acervo e Difusão Adjunto: Carolinne Vieira - Cineclube Gastrô/CE
Diretor de Comunicação: João Batista Pimentel Neto – Cineclube Difusão/SP
Diretor de Comunicação Adjunto: Simone Norberto – Cineclube Oca/RO
Diretorias Regionais:
Norte:
Diretor Regional: Arthur Leandro – Cineclube Rede [Aparelho] /PA
Diretor Adjunto: Juliana Machado – Cineclube Aquiry/AC
Nordeste:
Diretor Regional: Graziele Andrade Ferreira – Cineclube Npd Orlando Vieira/SE
Diretor Adjunto: Alex Nunes Barroso (Alex Fedoxx) - Cine Molotov/CE
Centro Oeste:
Diretor Regional: Lourenço Aparecido Favari – Cineclube Crec/SP
Diretor Adjunto: Daniela Maria Teixeira – Cineclube Participação/ES
Sudeste:
Diretor Regional: Renata De Oliveira Ramos - Cineclube Funec/MG
Diretor Adjunto: Valdecir Edson Marques – Cine Everest/SP
Sul:
Diretor Regional: Reno Luiz Caramori Filho – Cineclube Independente/SC
Diretor Adjunto: Helen Maria Psaros – Cine Guará/PR

João Baptista Pimentel Neto
Diretor de Comunicação - CNC – Conselho nacional de Cineclubes Brasileiros

João Baptista Pimentel Neto
Diretor de Articulação e Comunicações do CBC - Congresso Brasileiro de Cinema
Diretor de Comunicação do CNC - Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros
Relações Institucionais do Festival de Atibaia Internacional do Audiovisual

Cel: 11.8492.7373 - Msn: pimentel439@hotmail.com
Skype: pimentel43 - Twitter: pimentel43

FILMES SÃO FEITOS PARA SEREM VISTOS!

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Consulta Pública – Classificação Indicativa

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA - Consulta Pública – Classificação Indicativa

Ministério da Justiça Convida Sociedade a Debater a Classificação Indicativa

Brasília, 18/11/10 (MJ) – A discussão sobre o novo modelo para a Classificação Indicativa no país poderá contar com a contribuição de qualquer cidadão brasileiro. O Ministério da Justiça lançou nesta quinta-feira (18) debate público on-line sobre o atual modelo de Classificação Indicativa. Preenchendo um pequeno cadastro no endereço http://culturadigital.br/classind, qualquer cidadão poderá opinar sobre as normas e critérios atualmente usados na classificação de obras audiovisuais.

A intenção do MJ é coletar argumentos de pais, produtores e distribuidores de filmes, emissoras de televisão e qualquer interessado sobre o tema para atualizar os critérios da Classificação Indicativa e lançar, ainda em 2010, portaria única para regulamentar o tema. A discussão acontecerá sempre pela Internet e o debate ficará aberto pelo período de 30 dias.

Os participantes poderão opinar sobre o texto vigente, sugerir nova redação, novos artigos, novos critérios, poderão publicar cenas para exemplificar seus argumentos e comentar os argumentos publicados pelos demais. A atual portaria está vigente desde 2007.

AVALIAÇÃO

“Depois de quatro anos em aplicação, queremos conhecer o que a sociedade pensa sobre a classificação indicativa. Não queremos uma votação, nem maniqueísmos. Queremos conhecer os argumentos da sociedade, de diretores, produtores, artistas, pais, juristas, em uma discussão ampla, pública e transparente, para que todos conheçam as opiniões e argumentos de todos”, afirmou o Secretário Nacional de Justiça, Pedro Abramovay.

O Ministério colocará em discussão toda a atual regulamentação do processo de Classificação Indicativa, que envolve cinco portarias que definem desde os critérios-chave (sexo, violência e drogas) até as faixas etárias (livre, 10 anos, 12 anos, 14 anos, 16 anos, 18 anos) e horárias (20h, 21h, 22h e 23h), além do entendimento sobre como esses critérios devem ser combinados para chegar à classificação final.

Segundo Abramovay, quando o MJ começou a aplicar a Classificação Indicativa, houve muitas queixas e temores sobre possíveis restrições de conteúdos e cerceamento da liberdade de expressão. Mas, com a norma em vigor, o que se viu foi o contrário. “Atualmente, coincidimos em 95% dos casos com a autoclassificação feita pelas emissoras de TV, por exemplo. É uma média muito alta e, quando não há coincidência, os casos são resolvidos rapidamente”, explicou o Secretário.

NORMAS

Cinco portarias regulam hoje a Classificação Indicativa. A idéia do MJ, uma vez concluído o debate público, é elaborar uma única portaria, simplificando o acesso e o conhecimento sobre o tema. “Queremos submeter a norma a um teste público para referendar e melhorar os procedimentos, chegando ao final com critérios mais claros e objetivos”, explicou o diretor do Departamento de Justiça, Classificação, Títulos e Qualificação do MJ, Davi Pires.

Tanto Abramovay quanto Pires destacam que, no Brasil, não existe proibição de qualquer tipo de conteúdo e que a norma foi desenvolvida para orientar as famílias e proteger crianças e adolescentes de conteúdos inadequados para as faixas etárias. “Temos certeza de que é possível conciliar liberdade de expressão à proteção da criança e do adolescente”, afirmou Abramovay.

TECNOLOGIA

Atualmente, o Ministério avalia, em média, 10 mil obras por ano. Filmes, DVDs, jogos eletrÃ?nicos e de interpretação (RPG) são classificados previamente à exibição. Já a programação de TV é autoclassificada pelas emissoras e monitorada pelo MJ por 60 dias para validar a Classificação Indicativa. O monitoramento permanece constante. Em caso da ocorrência de inadequações na obra, as emissoras são comunicadas e têm a opção de adequar o programa ao público a que se destina e manter a classificação atribuída ou solicitar a reclassificação da obra para outros públicos. “Houve casos de discordâncias, mas as alterações foram feitas prontamente”, elogia Abramovay.

O formato de construção colaborativa por trás da iniciativa foi desenvolvido pela Secretaria de Assuntos Legislativos (SAL) do MJ, à época do debate público sobre o Marco Civil da Internet. “Essa iniciativa está dentro do contexto de política pública de democratização do processo de elaboração normativa. O Marco Civil da Internet foi uma experiência exitosa e queremos tornar essa prática de debates públicos sobre temas relevantes para a sociedade uma política permanente”, afirmou o Secretário de Assuntos Legislativos do MJ, Felipe de Paula.

Para participar: http://culturadigital.br/classind/debate_normas

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Clássicos Catarinenses DIVERSIFICANDO A REALIDADE"

Cinemateca Catarinense, Fundação Franklin Cascaes, Prefeitura Municipal de Florianópolis, Funcine, Travessa Cultural e Tintin Cineclube apresentam:

Cineclube Ieda BeckSessões dias 01 e 15/12 – QUARTA FEIRA 20h (novo horário)Instituto Arco-Íris, Travessa Ratclif nº 56 - Centro, Florianópolis, SC
ENTRADA FRANCA

Clássicos Catarinenses

Chegando ao final de mais um ano, nada mais apropriado que voltar às origens: no Cineclube Ieda Beck, dezembro será voltado para o clássico. Os clássicos que construíram o dito cinema catarina, criando as bases para as novas gerações. Este mês vamos fazer duas sessões recapitulando os primórdios da sétima arte catarinense, então venha conhecer nosso passado, nossas origens numa outra época, uma outra Florianópolis.

Parte I – QUARTA, 1 de Dezembro 2010, 20h

" O Preço da Ilusão”, direção de Nilton Nascimento
(Ficção/ 7’/35mm)
Sinopse: Maria da Graça, funcionária pública entediada com o ofício, despreza a opinião de sua mãe, desiste do noivado com o namorado Paulo e aceita o convite de Souza, organizador do concurso “Rainha do verão”, para se candidatar. Ela sonha com o sucesso.Patrocinada pelo inescrupuloso Dr. Castro, vence o concurso e é por este seduzida. Maria resolve deixar a cidade, mas o Dr. Castro tenta impedi-la.
Observação: serão exibidos apenas os 07 minutos finais do longa-metragem

" A Via Crucis", direção GUCA: Grupo Universitário de Cinema Amador

“Novelo”, dir. de Pedro P. Souza e Gilberto Gerlach / GUCA: Grupo Universitário de Cinema Amador
(1968/ Ficção/16’/16mm)
Sinopse: Os dezesseis minutos do filme tratam de um jovem que se complica nas suas relações com a cultura e a civilização e vive uma profunda crise existencial.

"Desterro", direção de Eduardo Paredes
(1992/Ficção/18'/35mm)
Sinopse: Brasil 1894.Sufocada a revolução federalista no sul do pais, o presidente Floriano Peixoto desencadeia violenta repressão contra os vencidos. Na antiga Desterro, capital do estado, a população vive aterrorizada ante os fuzilamentos sumários na fortaleza de Anhatomirim e a insegurança das delações. Com Gracindo Junior, Luiz melo, Luciana Makowiecky e Waldir Brazil


“Bruxas”, direção de Mauro Faccioni
(1987/Ficção documental/30’/ 16mm)
Sinopse: Baseado nos estudos de Franklin Cascaes sobre as atividades bruxólicas na Ilha de Santa Catarina, onde o rótulo de “bruxa”, vindo de além mar, se ajustou às benzedeiras, curandeiras visionárias em geral, ou seja, pessoas comuns que vivem até hoje ao nosso lado.


Parte II – QUARTA, 15 de Dezembro 2010, 20h


“Farra do Boi”, direção de José Henrique Nunes Pires e Norberto Depizzolatti
(1991/Documentário/25’/16mm)
Sinopse: Filme composto de quatro partes: Origens, Preparativos, Tribunal e Farra, que traçam um breve histórico da manifestação cultural,um contraponto de diversas opiniões contra e a favor da brincadeira e a forma como ela ocorreu em Ganchos (SC) durante a Semana Santa de 1990.

“Bruxa Viva”, direção de Lena Bastos
(1998/Ficção/14’/ 35mm)
Sinopse: Uma ficção que tem como fundo a realidade da ilha de SC, contrapondo o universo e a imaginação de um Brasil rural que submerge diante do processo de urbanização.

“Naturezas Mortas”, direção de Penna Filho
(1995/ Documentário Ficcional/ 15’/ 35mm)
Sinopse: A trajetória de um trabalhador do subsolo na região carbonífera de Santa Catarina. Além da degradação física, o envelhecimento precoce, o desenvolvimento da pneumoconiose, - uma doença incurável adquirida através da exposição ao pó do carvão – mostra a degradação ambiental provocada pela mineração a céu aberto.

“O Vôo Solitário”, direção Chico Faganello
(1991/Documentário Dramatizado/36’/16mm)
Sinopse: Documentário dramatizado dobre a vida e a obra do entomólogo e naturalista alemão Fritz Plaumann, radicado em Seara (SC) desde a década de 20 e dono de uma das mais expressivas coleções de insetos do planeta. Com Jorge Germerdoff

Ciência e Tecnologia rejeita extinção do Ecad

A Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática rejeitou hoje o Projeto de Lei 2850/03 [[http://www2.camara.gov.br/agencia/noticias/93635.html]], da Comissão de Legislação Participativa [[Criada em 2001, tornou-se um novo mecanismo para a apresentação de propostas de iniciativa popular. Recebe propostas de associações e órgãos de classe, sindicatos e demais entidades organizadas da sociedade civil, exceto partidos políticos. Todas as sugestões apresentadas à comissão são examinadas e, se aprovadas, são transformadas em projetos de lei, que são encaminhados à Mesa Diretora da Câmara e passam a tramitar normalmente.]], que extingue o Escritório Central de Arrecadação de Direitos (Ecad), substituindo-o por uma nova entidade, o Centro de Arrecadação e Distribuição de Direitos Autorais (Cadda). A proposta tem origem em sugestão da Casa do Compositor Musical, entidade sem fins lucrativos situada no Rio de Janeiro.

A comissão acolheu o parecer da relatora, deputada Solange Amaral (DEM-RJ). Ela defende o trabalho do Ecad e diz que, mesmo sem acordo quanto aos critérios de coleta e repartição de direitos, o caminho adequado para o equacionamento não é a extinção do órgão, mas sim a permanente negociação com os artistas.

A deputada acredita que o resultado da mudança seria a desorganização da arrecadação de direitos por um período extenso, causando prejuízo aos artistas. "Atualmente, o Ecad executa o recolhimento antecipado dos direitos de modo organizado e sistemático, estabelecendo valores compatíveis com o uso dado à execução das obras. Graças a um significativo esforço de modernização administrativa e ao uso de soluções de informática, o acompanhamento e o recolhimento dos montantes devidos tornou-se mais previsível nos últimos anos, minimizando-se os conflitos que, no passado, marcaram as relações dessa instituição com artistas e produtores", acrescentou a relatora.

Quanto aos outros dispositivos do projeto, a relatora afirma que não trazem nenhuma inovação em relação à Lei de Direitos Autorais (9.610/98).

Tramitação

A proposta ainda será analisada pelas comissões de Educação e Cultura; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Em seguida, será votada pelo Plenário.

Íntegra da proposta:
PL-2850/2003
http://www.camara.gov.br/internet/sileg/Prop_Detalhe.asp?id=150289

Publicado em http://www2.camara.gov.br/agencia/noticias/EDUCACAO-E-CULTURA/151492-CIENCIA-E-TECNOLOGIA-REJEITA-EXTINCAO-DO-ECAD.html

24/11/2010 12:32

Laguna recebe Projeto Cinemateca Cultural Itinerante

Ação tem o objetivo de estimular a capacitação de profissionais atuantes na produção do cinema e audiovisual catarinense Laguna é a quarta cidade do Estado a receber o Projeto Cinemateca Cultural Itinerante, nos dias 01, 02 e 03 de dezembro. A iniciativa é da Associação Cultural Cinemateca Catarinense – ABD/SC, com apoio da Secretaria de Estados de Turismo, Cultura e Esporte (SOL), do Funcine, Santacine, Sintracine, Laguna Hotel Tourist, Restaurante Arrastão e Restaurante Faísca. Em Laguna conta o apoio do SESC, Cineclube Laguna e do IPHAN. O plano tem como objetivo expandir a produção e estimular a capacitação de profissionais do setor de cinema e audiovisual em Santa Catarina, além de promover uma discussão aprofundada sobre a realidade do setor, através de oficinas gratuitas. As inscrições podem ser realizadas através do sitewww.npdsc.ufsc.br ou no local.

Santa Rosa de Lima ganha cinema gratuito

Munícipes participaram da primeira sessão de cinema na última sexta-feira. Novidade pode ser conferida semanalmente
A população de Santa Rosa de Lima participou de um fato inédito na última sexta-feira, 19 de novembro. Através da prefeitura, em parceria com o Ministério da Cultura, a primeira sessão de cinema foi realizada na cidade no último final de semana. O evento, com entrada gratuita, reuniu cerca de 80 pessoas.



SESSÃO aconteceu no Salão Velho e reuniu diversos participantes para assistir o filme brasileiro
“Este é um momento de oportunizar a população que mora nas comunidades do interior ao acesso a cultura. Trazer o cinema e, ainda mais filmes nacionais é uma maneira de não deixar história passar despercebida”, afirma uma das organizadoras do evento e vereadora Siuzete Vandressen Baumann.
O filme escolhido para a estreia foi “O Tapete Vermelho”. A história conta a trajetória de um casal do interior, interpretado por Matheus Nachtergaele e Gorete Milagres, que leva o filho Neco, de nove anos, para uma cidade para assistir a um filme do artista Mazzaropi no cinema. Mas, no caminho o trio conversa com pessoas que contam sobre a vida no campo.
“Adorei esta ideia de cinema, parece que estamos dentro do filme. Vou assistir sempre que tiver e também vou convidar minha família pra vir junto. É muito legal”, afirma uma das espectadoras Natália Heidemann Schlickmann, 11 anos.
Para o prefeito de Santa Rosa de Lima, Celso Heidemann (PP), a novidade agradou. “Fiquei encantado com a reação das pessoas, especialmente das crianças e dos idosos. Muito bom esse projeto do Ministério da Cultura e torço para que mais municípios corram atrás dessa parceria e que consigam trazer o Cine Mais Cultura para sua população”, disse o prefeito.Siuzete revela que através do Governo Federal e a prefeitura de Santa Rosa de Lima, foram disponibilizados 105 filmes nacionais, uma caixa de som, um equipamento de projeção de imagem e um telão.
“Nossa expectativa é que as sessões aconteçam uma vez por semana, que deverão ser sempre aos domingos, e que também será disponibilizado em escolas e nas comunidades”, antecipa a vereadora.

Publicado em. http://www.folhadovale.com.br/2010/11/23/santa-rosa-de-lima-ganha-cinema-gratuito/

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

DVD DE ACERVO E LAÇAMENTOS

LOCADORA CANAL A da Rua João Bauer em Itajaí está
VENDENDO TODOS OS FILMES DA LOCADORA POR 05 E 10 REAIS

obs: abaixo esta nosso orkut., pessoal add no link abaixo ou poruca como ighi - esta como ighi canal @
http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=16000943754421306861

JACKSON
SDS
3348-4050

prorrogadas até 24 de novembro as inscrições para as duas últimas oficinas gratuitas de 2010 oferecidas pelo Núcleo de Produção Digiltal SC

Foram prorrogadas até 24 de novembro as inscrições para as duas últimas oficinas gratuitas de 2010 oferecidas pelo Núcleo de Produção Digiltal de Santa Catarina.

As inscrições devem ser feitas no site www.npdsc.ufsc.br
Criadores de Formatos Audiovisuais
Ministrante: Marcio Motokane
27 e 28 de novembro (sábado e domingo)
27/ 11 = 9h às 13h e 14h às 19h
28/11 = 9h às 13h e 14h às 17h
SESC Prainha

Construindo Personagens - figurino e maquiagem
Ministrante: Adriana Bernardes
29 de novembro a 03 de dezembro, 8h às 13h (segunda a sexta)
Biblioteca Central - UFSC

Sobre os ministrantes:
Marcio Motokane
[Criadores de Formatos Audiovisuais]
É coordenador artístico do Canal Futura. Formado em Cinema, desde 1993 atua no mercado nacional e internacional como diretor em formatos televisivos em emissoras como BAND, HBO, Chile filmes, Canal Brasil, Multishow, Canal Futura. Foi premiado pela criação de formatos audiovisuais em festivais internacionais como o PROMAXBDA, CARACOL DE PLATA, PRIX JENEUSSE, JAPAN PRIZE.

Adriana Bernardes
[Construindo Personagens - figurino e maquiagem]
Possui graduação em Moda - Estilismo pela Universidade do Estado de Santa Catarina, e pós-graduação em Gestão do Produto de Moda do Vestuário pela Faculdade Estácio de Sá. Já participou de diversas produções catarinenses como maquiadora e figurinista, entre elas os curta-metragens Black-Outs (Marco Stroisch, 2009) e Se eu Morresse Amanhã (Ricardo Weschenfelder, 2009), e os longas Doce de Coco (Penna Filho, 2008), Muamba (Chico Faganello, 2009), A Antropóloga (Zeca Pires, 2010) e Aos Espanhóis Confinantes (Ângelo Clemente Sganzerla, 2008).

DOMÍNIO PÚBLICO



uma bela biblioteca digital, desenvolvida em software livre, mas que está prestes a ser desativada por falta de acessos. Imaginem um lugar onde você pode gratuitamente:

• Ver as grandes pinturas de Leonardo Da Vinci ;
• escutar músicas em MP3 de alta qualidade;
• Ler obras de Machado de Assis Ou a Divina Comédia;
• ter acesso às melhores historinhas infantis e vídeos da TV ESCOLA
• e muito mais....

Esse lugar existe!
O Ministério da Educação disponibiliza tudo isso,basta acessar o site: www.dominiopublico.gov.br

Só de literatura portuguesa são 732 obras!

Estamos em vias de perder tudo isso, pois vão desativar o projeto por desuso, já que o número de acesso é muito pequeno. Vamos tentar reverter esta situação, divulgando e incentivando amigos, parentes e conhecidos, a utilizarem essa fantástica ferramenta de disseminação da cultura e do gosto pela leitura.

Divulgue para o máximo de pessoas!

Programação DOC SC 22 - 24 - 27 de novembro de 2010

DOC SC é um programa semanal de documentários na TVBE, a TV da comunidade (canal 21 - sinal aberto para Itajaí e região).

SEG, 22h
QUA, 2:30h
SÁB, 10:30h

Nesta semana o documentário: Centro de Tradição Gaúcha, de Beto e Lallo Bocchino. confira ginetiada, laço e chimarrão na segunda 22/11, com reprise sábado 27/11.

DOC SC, apoio cultural: Prefeitura de Itajaí e Diarinho.
Confira a chamada!
http://www.youtube.com/watch?v=zgQ5ZYCgW54

O Que: Liquidificador Musical, no DOC.SC

Quando: Estréia hoje, 22/11 às 22 horas

Onde: TVBE – Canal 21, Brasil Esperança. (canal aberto)

Quem: Pangéia Produções.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Representações do BID na América Latina e no Caribe receberão as candidaturas para financiamento

O Centro Cultural do Banco Interamericano de Desenvolvimento está lançando uma convocatória para fornecer apoio financeiro a projetos de desenvolvimento cultural de pequena escala em 2011.
As propostas devem ser enviadas antes de 31 de janeiro de 2011 para as Representações do BID nos 26 países da América Latina e do Caribe (http://www.iadb.org/es/paises/selecione-un-pais,1000.html).
As doações, de US$ 3.000 a US$ 10.000, serão concedidas a propostas que satisfaçam uma necessidade local, apóiem a excelência artística, estimulem a atividade econômica e social de forma inovadora e bem-sucedida, além de contribuir para os valores culturais, o desenvolvimento dos jovens e da comunidade. Se quiser mais informações sobre o concurso, ingrese aqui (http://idbdocs.iadb.org/wsdocs/getdocument.aspx?docnum=2197819).
O Programa de Desenvolvimento Cultural foi concebido para estimular o desenvolvimento de projetos inovadores, preservar e recuperar tradições e conservar o patrimônio cultural, entre outros objetivos. Os projetos são avaliados de acordo com sua viabilidade, alcance educativo, uso eficaz de recursos, capacidade de mobilizar recursos financeiros adicionais e impacto de longo prazo sobre a comunidade.
O BID pode financiar até dois terços de um projeto. As organizações locais são responsáveis por proporcionar o resto dos recursos e apoiar o projeto de modo sustentável.

----

Eliel Freitas Jr
http://elielfj.wordpress.com/
Skype - elielfj
Messenger (Y e Msn) - elielfj@yahoo.com.br

AUDIOTECA SAL E LUZ

São áudios de 2.700 livros que podem ser enviados a deficientes visuais.

Divulgue, por favor!
Eles não precisam de dinheiro, mas de DIVULGAÇÃO!!!

Procure o site
http://www.audioteca.org.br/catalogo.htm
e veja os nomes dos livros falados disponiveis.

Caros amigos,
Venho por meio deste e-mail divulgar o trabalho maravilhoso que
é realizado na Audioteca Sal e Luz e corre o risco de acabar.
A Audioteca Sal e Luz é uma instituição filantrópica, sem fins lucrativos,
que produz e empresta livros falados (audiolivros).

Mas o que seria isto?
São livros que alcançam cegos e deficientes visuais, (inclusive os
com dificuldade de visão pela idade avançada) de forma totalmente
gratuita.

Seu acervo conta com mais de 2.700 títulos que vão desde
literatura em geral, passando por textos religiosos até textos e provas
corrigidas voltadas para concursos públicos em geral. São emprestados
sob a forma de fita K7, CD ou MP3.

E agora, você está se perguntando: O que eu tenho a ver com isso?
É simples. Nos ajude divulgando. Se você conhece algum cego ou
deficiente visual, fale do nosso trabalho. DIVULGUE!

Para ter acesso ao nosso acervo, basta se associar na nossa sede,
que fica situada à Rua Primeiro de Março, 125- Centro. RJ.
Não precisa ser morador do Rio de Janeiro.

A outra opção, foi uma alternativa que se criou face a dificuldade
de locomoção dos deficientes na nossa cidade. Eles podem
solicitar o livro pelo telefone, escolhendo o título pelo site, e
enviaremos gratuitamente pelos Correios.

A nossa maior preocupação reside no fato que, apesar do governo
estar ajudando imensamente, é preciso apresentar resultados. Precisamos
atingir um número significativo de associados, que realmente contemplem
o trabalho, se não ele irá se extinguir e os deficientes não poderão
desfrutar da magia da leitura. Só quem tem o prazer na leitura, sabe
dizer que é impossível imaginar o mundo sem os livros...

Ajudem-nos, Divulguem!
Atenciosamente,

Christiane Blume - Audioteca Sal e Luz
Rua Primeiro de Março, 125- 7. Andar
Centro- RJ. CEP 20010-000
Fone: (21) 2233-8007 (21) 2233-8007

Horário de atendimento: 08 às 16 horas
http://audioteca.org.br/noticias.htm

MALDITO! Cineclube Ieda Beck

Cinemateca Catarinense, Prefeitura Municipal de Florianopolis, Funcinte e Travessa Cultural apresentam:

Cineclube Ieda Beck
17/11 – QUARTA FEIRA - 20h
Travessa Ratclif nº 56 - Centro, Florianópolis, SC - ENTRADA FRANCA

MALDITO!
Em novembro o Cineclube Ieda Beck continua a despertar os monstros. Mandamos nossos capangas atrás de um forasteiro do extremo oeste catarinense, um homem cabeludo, barbudo e mal-encarado que é procurado pelas autoridades no Brasil afora por ter cometido mais 100 filmes sangrentos, iconoclastas, bizarros e/ou indecentes. Autor de clássicos do cinema trash como “Zombio”, “O Monstro Legume do Espaço”, “Eles Comem Sua Carne” e “Aventuras do Dr. Cinema na Terra do VHS Vagabundo”, Petter Baiestorf estará presente em carne, osso e pele para mostrar curtas da safra recente. Então se aprochegue no recanto mais underground do centro de Floripa, a Travessa Ratclif, onde entre mesas de bar e escolas de dança está encrostado o Cineclube Ieda Beck. Não vacile: novo horário, às 20h!

PRIMITIVISMO KANIBARU NA LAMA DA TECNOLOGIA CATÓDICA
de Petter Baiestorf, 12’, Filme de Lama, 2003
A eterna discussão entre primatas e evoluídos.

NINGUÉM DEVE MORRER
de Petter Baiestorf, 31’, Faroeste Musical, 2009
O pistoleiro Ninguém se recusa à participar de um filme em super 8
de zoofília e é perseguido pelos capangas do Coronel Bajon.

VADIAS DO SEXO SANGRENTO
de Petter Baiestorf, 30’, Comédia, 2008
Casal de lésbicas é perseguido pelo ex-namorado ciumento de uma delas.

www.canibuk.wordpress.com

O QUE: sessao do Cineclube Ieda Beck "MALDITO!”
QUANDO: quarta, 17 de Novembro, as 20h
ONDE: Instituto Arco-Iris. Travessa Ratclif, 56 (esquina com Joao Pinto)
QUANTO: Entrada Franca e livre

UMA REALIZAÇÃO
Cinemateca Catarinense, Pref. Municipal de Florianópolis, Funcine, Travessa Cultural, Fundação Franklin Cascaes
CONTATOS
Cinemateca Catarinense (48) 3224.7239 Sofia Mafalda (48) 9125.5306 Alan Langdon (48) 9941.2714 cineiedabeck@gmail.com

sábado, 13 de novembro de 2010

Cinemateca Catarinense lança projeto itinerante de formação e capacitação de cinema

A Associação Cultural Cinemateca Catarinense – ABD/SC completa em breve 25 anos de atuação no cinema e audiovisual e comemora existência com o pé na estrada.

Com o objetivo principal de expandir a produção e fomentar a profissionalização do setor, acaba de ser lançado o Projeto Cinemateca Cultural Itinerante.

Composto por ações de formação, capacitação, discussão e exibição audiovisual e através de parcerias com instituições representativas, o plano irá percorrer inicialmente cinco municípios do Estado - Lages, Chapecó, Joinville, Laguna e Jaraguá do Sul. A rodada cultural acontece de 7 de novembro a 11 de dezembro de 2010.

Na programação consta Mesa de Debate com os temas levantados durante o 1º Congresso Catarinense de Cinema e Audiovisual. A mostra de filmes catarinenses “Retro SC em ação”, que apresenta uma retrospectiva do cinema catarinense até hoje, formada por nove curtas-metragens que ganharam destaque na cronologia cinematográfica.

E ainda oficinas de capacitação e elaboração de projetos com o compartilhamento de técnicas e mecanismos de produção, informações de fomento e incentivo culturais. A participação é totalmente gratuita e os cursos são destinados a profissionais atuantes e interessados em geral no cinema e audiovisual. O Projeto Cinemateca Cultural Itinerante recebe o apoio da Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, em parceria com Funcine, Santacine, Sintracine, SESC/Lages e Núcleo de Produção Digital de Santa Catarina. A realização é da Associação Cultural Cinemateca Catarinense.

Itinerário Projeto
07 a 09/11 – Lages/SC
19 a 21/11 – Chapecó/SC
25 a 27/11 – Joinville/SC
01 a 03/12 – Laguna/SC
09 a 11/12 – Jaraguá do Sul/SC

CineMãe recebe visita da parteira holandesa Mary Zwart

Encontro é nesta quinta-feira, dia 11, às 15h, no Cine Teatro Edith Gaertner, na Fundação Cultural de Blumenau

O Programa CineMãe, que tem agendada para esta quinta-feira, dia 11, às 15h, com a exibição do filme "Separados pelo Casamento" a nona e última sessão do ano, terá a visita da parteira holandesa Mary Zwart. Mary, que está em Blumenau para uma palestra, ainda nesta quinta-feira, dia 11, às 19h30min, no Auditório Unimed Blumenau, com o tema "Toda a gravidez é sinal de saúde". O CineMãe é exibido no Cine Teatro Edith Gaertner, na Fundação Cultural de Blumenau (FCB)

Mary é parteira renomada da Holanda, país onde a política de saúde valoriza o parto natural e domiciliar. Durante o encontro na sessão do CineMãe, a holandesa vai conhecer o Programa desenvolvido pela FCB.

O programa traz sessões de cinema para as mães e seus bebês até 18 meses e visa o entretenimento dos adultos com filmes que combinam conteúdo e diversão. O objetivo do CineMãe é propiciar às mães um momento de lazer com bebês e seus acompanhantes, trazendo sessões com espaço específico para as crianças com trocador, estacionamento de carrinhos e sofás para amamentação.

A sala de exibição também é preparada especialmente para o público com ar menos frio, as salas menos escuras e som diminuído, com um espaço que pretende proporcionar a integração de pais e pessoas que participam dessa sessão.

O CineMãe tem o apoio da Secretaria de Saúde, Banco de Leite Humano, Comitê Regional de Aleitamento Materno, Grupo Piracema de Apoio ao Bem Nascer, do espaço on-line não-governamental libertar.org, de Giselle Seibel fotografias, da produtora cultural Daniela Vieira e Paraíso dos Colchões.

Quem é
Mary Zwart é uma parteira holandesa independente, graduada na Escola de Parteiras de Amsterdã em 1969. Recebeu o treinamento em enfermagem no Hospital Acadêmico de Leiden. Desde 2000, participa do Movimento de Humanização do Parto no Brasil. É fundadora da Escola Perinatal Européia, bem como membro do Fórum Europeu de Cuidados Primários, representante internacional da Iniciativa Amiga da Mãe e do Bebê (Mother Baby Friendly Care Iniciative).

Local Fundação Cultural de Blumenau
Cine Teatro Edith Gaertner - Rua XV de Novembro, 161 - Centro
Horário: 15h - Entrada: Gratuita

Fonte:Gláucia Maindra da Silva, coordenadora do CineMãe (3326-7514/9911-0763)
Assessor de Comunicação: Humberto Trindade (3326-6995/9194-0745)
E-mail: humbertotrindade@blumenau.sc.gov.br

a_curto_prazo



mostra de vídeos de alunos do centro de artes
da universidade do estado de santa catarina

18 de novembro, às 20h
Exibição ao ar livre no Largo Victor Meirelles

O Museu Victor Meirelles em parceria com o Centro de Artes da Universidade do Estado de Santa Catarina (CEART-UDESC) abre uma nova janela de exibição com a proposta de mostrar trabalhos de artistas em formação. Além disso, a curadoria também será realizada pelos estudantes. A questão inicial colocada, segundo os curadores Ricardo Mari Neto e Noara Quintana, foram os critérios de seleção dos filmes de seus próprios colegas: “A escolha dos vídeos não foi gratuita e criamos blocos temáticos. O que caracteriza cada um deles e de que maneira podemos estabelecer associações?”.

Texto da curadoria
“Evitamos estabelecer previamente qualquer tipo de critério para a seleção dos vídeos. Tal postura visou a recepção de uma maior variedade de propostas, eximindo os artistas de maiores preocupações quanto ao conteúdo de suas produções. Contudo, a tentativa de nos mantermos imparciais quanto a sequência em que os trabalhos seriam exibidos fracassou por uma única razão: certos vídeos, quando ao lado de certos vídeos – é isso mesmo! -, perdia seu poder de (in)comunicação. Visto isso, decidimos que o melhor a ser feito seria encontrar elementos comuns presentes em alguns vídeos e agrupá-los em blocos temáticos. Voltamos a eficaz e velha fórmula: tema. Nada mal.

O primeiro bloco, nomeamos de Corpo/Performance. As produções presentes neste grupo destacam-se - como o próprio nome já diz - pela utilização do corpo como principal recurso para se atingir a expressividade desejada pelo artista. Na maioria destes vídeos é o corpo do próprio artista que vivência a experiência.

Para o segundo bloco, demos o nome de Coletivo LAAVA. O Coletivo LAAVA é formado por artistas plásticos e visuais da UDESC. Criado a partir do projeto de Extensão VIDEAR LAAVA - Laboratório Aberto de Animação e Vídeo-Arte -, no início de 2009, tem como campo de atuação a arte relacional complexa, promovendo convívio, experimentações, processos colaborativos e descontinuidades no cotidiano.
O terceiro bloco, chamamos Tempo. Aqui se encontram aqueles trabalhos onde o artista possibilita ao espectador experimentar sombras crescentes em queda d’água, o vento que promove a dispersão da areia para a aparição morosa do objeto estranho.

O quarto bloco apelidamos de Colagem. Deste agrupamento fazem parte três vídeos que utilizaram de um mesmo recurso, ou seja, da apropriação de partes de vídeos outros a fim de ressignificá-los. Trata-se de trabalhos elaborados pelo processo da colagem – técnica desenvolvida pelas vanguardas do século XX.

O quinto e último bloco chama-se Paisagem. Os dois vídeos que fazem parte deste bloco abordam de maneiras distintas a paisagem urbana. Seja através da abstração de tal sítio, ou mesmo de uma representação mais fidedigna do mesmo - através de seu barulho e movimento caótico -, tais trabalhos nos levam a refletir sobre as possibilidades do olhar.”.

(Ricardo Mari Neto e Noara Quintana)

Relação de vídeos por bloco:

Curta-metragemDa Janela (Giovana Zimermann/15´/2008)

Vídeo-Arte

Corpo / Performance
Uncancer (Bil Lühmann/4’45’’/2010)
Sem título (Iam Campigotto/2’08’’/2010)
Sinestesia! (Anna Carolina Porto, Mariana Cabral, Erick Hiromy, Maria Luiza Cabral, Aline Rodrigues, Fernanda Becker/4’/2009)
Ao menos um ovo (Rosana Rocha/8’/2010)
Fall For [bas jan ader] (Ana Clara Joly/35’’/2009)
Imersão do Real (Mauri Cherobin/8’/2009)
Viu Bil (Bil Lühmann/8’35’’/2009)
O Corpo-mente (Bruno Ropelato/4’33’’/2009)
Penelopéia (Sarah Pusch/20’/2010)
Afecto (Flávia Klein/1’50’’/2010)
Gama Goblins Radio Waves (Giorgio Filomeno/2’05’’/2008)

Coletivo LAAVAGeladeira Laranja (Coletivo LAAVA/1’21’’/2009)
...do som ao fogo... (Coletivo LAAVA/1’15’’/2010)
Forno do LAAVA no Morro do Ingá (Coletivo LAAVA/3’30’’/2010)
Semeando o Presente (Coletivo LAAVA/3’46’’/2010)
Ai que vida! (Coletivo LAAVA/4’45’’/2010)
Para um alface um ano em um minuto (Coletivo LAAVA/1’/2010)

Tempo
Água (Letícia Pinto Jorge, Lucas Kinceler/33’’/2010)
Xícara (Letícia Pinto Jorge, Lucas Kinceler/50’’/2010)
Areia (Letícia Pinto Jorge, Lucas Kinceler/1’36’’/2010)

ColagemIndetermináveis (Francis Pedemonte, Maximilian Tommasi/5’/2008)
Palhaços (Leonardo Lima/3’/2009)
Notações, Superdosagem, Enfrentamento (Silvio Bruno/2’35’’/2010)

Paisagem
Desenho nas Cidades (Rodrigo Born/3’/2010)
Predatórios (Silvio Bruno/4’/2010)


-----------------------------------------
O quê: a_curto_prazo [mostra de vídeos de alunos do CEART-UDESC]
Quando: 18 de novembro de 2010, às 20h
Onde: Largo Victor Meirelles (ao ar livre). Em caso de chuva a exibição será realizada na sala multiuso do Museu Victor Meirelles
Quanto: Gratuito

últimas oficinas oferecidas pelo Núcleo de Produção Digital de Santa Catarina em 2010

Estão abertas até 17 de novembro as inscrições para as três últimas oficinas oferecidas pelo Núcleo de Produção Digital de Santa Catarina em 2010

As oficinas fecham um ano bastante produtivo para o NPD-SC, que realizou 14 oficinas gratuitas, envolvendo mais de 300 estudantes e profissionais do audiovisual do Estado.
As inscrições devem ser feitas até 17 de novembro no site www.npdsc.ufsc.br. Serão oferecidas 20 vagas para cada oficina.

Mais detalhes sobre as oficinas:

Desenho de Pós-Produção
Ministrante: Adriana Copetti
22 a 26 de novembro, 19 às 22 horas
CCE - UFSC

Criadores de Formatos Audiovisuais
Ministrante: Marcio Motokane
27 e 28 de novembro, 9h às 13 horas e 14h às 19 horas
SESC Prainha

Construindo Personagens - figurino e maquiagem
Ministrante: Adriana Bernardes
29 de novembro a 03 de dezembro, das 8 às 13 horas
Biblioteca Central - UFSC


Sobre os ministrantes:

Adriana Copetti
[Desenho de Pós-Produção]
É publicitária, formada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Pós-Graduada em Marketing em Mercados Internacionais pela Universidade Cândido Mendes, do Rio de Janeiro. Trabalhou na área comercial e marketing de importantes empresas do segmento de pós-produção tais como: Grupo CHILE Films, Estúdios MEGA e CASABLANCA Rio. Implantou o núcleo de pós-produção de som para cinema dos Estúdios VTI Network. Atualmente, desenvolve suas atividades como produtora executiva em Florianópolis, e está preparando duas séries para televisão com temas ligados à ecologia e fotografia. Alguns trabalhos que realizou na função de executiva de contas: Subterrâneos, (José Eduardo Belmonte, 2004), Tropa de Elite (José Padilha, 2007), Canção de Baal (Helegna Ignez, 2008) e Polaróides Urbanos (Miguel Falabella, 2008), entre outros.

Marcio Motokane
[Criadores de Formatos Audiovisuais]
É coordenador artístico do Canal Futura. Formado em Cinema, desde 1993 atua no mercado nacional e internacional como diretor em formatos televisivos em emissoras como BAND, HBO, Chile filmes, Canal Brasil, Multishow, Canal Futura. Foi premiado pela criação de formatos audiovisuais em festivais internacionais como o PROMAXBDA, CARACOL DE PLATA, PRIX JENEUSSE, JAPAN PRIZE.

Adriana Bernardes
[Construindo Personagens - figurino e maquiagem]
Possui graduação em Moda - Estilismo pela Universidade do Estado de Santa Catarina, e pós-graduação em Gestão do Produto de Moda do Vestuário pela Faculdade Estácio de Sá. Já participou de diversas produções catarinenses como maquiadora e figurinista, entre elas os curta-metragens Black-Outs (Marco Stroisch, 2009) e Se eu Morresse Amanhã (Ricardo Weschenfelder, 2009), e os longas Doce de Coco (Penna Filho, 2008), Muamba (Chico Faganello, 2009), A Antropóloga (Zeca Pires, 2010) e Aos Espanhóis Confinantes (Ângelo Clemente Sganzerla, 2008).

Cineclube Nangetu, coordenação: Kota Mazakalanje.

Tv. Pirajá, 1194 – Marco, Belém/PA. 91- 32267599.
Início de cada sessão- 19h. Ao final haverá roda de conversa com a comunidade do Mansu Nangetu.

sexta – 12/11 – Quase dois irmãos, de Lucia Murat
...A história começa nos anos 70, quando o País vivia sob a ditadura militar. Muitos presos políticos foram transferidos para a Penitenciária da Ilha Grande, na costa do Rio de Janeiro. Assim como os políticos, assaltantes de bancos estavam submetidos à Lei de Segurança Nacional. Os dois grupos cumpriam pena na mesma galeria. Quase Dois Irmãos aborda o desenvolvimento dessa relação e também o conflito estabelecido por ela. Não por acaso foi ali e naquela época que nasceu o Comando Vermelho que, mais tarde, passaria a dominar o tráfico de drogas. A ligação é feita por meio de dois personagens, Miguel (um jovem intelectual de classe média, preso político na Ilha Grande e, hoje, um deputado federal) e Jorge (filho de um sambista que, de pequenos assaltos, transformou-se num dos líderes do CV). Amigos na infância e ainda filhos de amigos, Miguel (Caco Ciocler) e Jorge (Flavio Bauraqui) se reencontram na prisão, onde cada um representa o grupo ao qual pertence.

sábado – 13/11 – Cartola – música para os olhos, de Lírio Ferreira e Hilton Lacerda
A história de Cartola, um dos compositores mais importantes da música brasileira e também um dos expoentes mais nobres do samba.

Domingo, 14/11 – Atabaques Nzinga, de Octávio Bezerra.
Filme musical sobre a Cultura Afro Brasileira, cuja estrutura narrativa se traduz por um jogo de búzios, onde nossa protagonista Ana chega atraída pelo "chamado do tambor" em busca de seu auto- conhecimento e seu caminho. Pela estrada da percussão nas locações de Pernambuco, Bahia e Rio de Janeiro, Ana encontra diferentes ritmos, grupos musicais e coreográficos, experienciando sua integração na sociedade brasileira. O material filmado em Angola, África, onde no séc. XVII viveu e reinou a Rainha Nzinga, guerreira famosa, cujo nome serve de batismo à protagonista do filme, é uma referência e ilustra o passado da história do negro no Brasil.

segunda - 15/11 As filhas do vento, de Joel Zito Araújo.
É uma lírica história de redenção amorosa entre irmãs, mães e filhas, em uma pequena cidade do interior de Minas Gerais, onde os fantasmas da escravidão e do racismo acentuam os dramas de forma sutil e poderosa. Cida (Ruth de Souza) e a irmã Ju (Léa Garcia) estão separadas por quase 45 anos. O tempo não conseguiu dissipar o rancor provocado por um incidente amoroso e familiar que marcou a juventude e a vida das duas. Com a morte do pai, Zé das Bicicletas (Milton Gonçalves), que havia expulsado Cida de casa, as duas voltam a se encontrar. Cida tornou-se uma mulher solitária. Fez carreira de atriz, atuando em cinema e telenovela, mas, apesar do talento, não teve o reconhecimento merecido. Maria D Ajuda nunca saiu do interior, cuidou do pai até a morte. Parece ter nascido para amar e cuidar dos outros, mas nunca conseguiu desenvolver nenhuma identidade profissional - o inverso da irmã atriz. Casou-se uma vez e depois teve vários filhos de companheiros diferentes. Sua família é uma típica família brasileira do interior, cheia de filhos, sobrinhos, netos e agregados. No entanto, uma de suas filhas, Dorinha (Danielle Ornellas), a que mais admira pela persistência profissional e talento artístico, é a única que despreza seu amor de mãe.

terça - 16/11 O Prisioneiro da Grade de Ferro.
Classificação 16 anos. Documentário produzido a partir de uma oficina realizada pelo diretor e sua equipe com os presidiários e funcionários da Casa de Detenção de São Paulo, o Carandiru, à época o maior presídio da América Latina. Feito a partir da reunião de fragmentos captados pelos próprios presidiários, o filme escapa da mera denúncia e do didatismo para favorecer a experiência e o ponto de vista dos que vivem no cárcere. O sistema carcerário brasileiro visto de dentro: um ano antes da desativação da Casa de detenção do Carandiru, detentos aprendem a utilizar câmeras de vídeo e documentam o cotidiano do maior presídio da América Latina.

Quarta 17/11 Brasil Indígena.
O programa apresenta quatro visões particulares sobre o índio, dos anos 1960 até a virada do milênio. Ãgtux traz, com um olhar sensível, as questões de terra que envolvem a nação Maxacali, de Minas Gerais. Jornada Kamayurá narra com delicadeza um dia na pequena nação de mesmo nome. Bubula, o cara vermelha retrata Jesco von Puttkamer, cinegrafista das expedições dos irmãos Villas Bôas, com impressionantes registros de primeiros contatos com tribos indígenas. E Mato eles?, filme seminal de Sérgio Bianchi, revela sua ironia ácida e provocativa ao investigar as últimas etnias existentes no Paraná no final da década de 1970. Filmes: Ãgtux, de Tania Anaya, MG-DF, 2005; Bubula, o cara vermelha, de Luiz Eduardo Jorge, Go, 1999; Jornada Kamayurá, de Heinz Forthmann, RJ, 1966; Mato eles?, de Sergio Bianchi , Brasil, 1983

quinta - 18/11 CINESAMBA
São quatro curtas que abordam o samba no Brasil - Com que Roupa?, de Ricardo van Steen , RJ, 1996; Do Dia em que Macunaíma e Gilberto Freyre Visitaram..., de Sérgio Zeigler e Vitor Angelo , SP, 1998; Operação Morengueira, de Chico Serra , RJ, 2005; e Polêmica, de André Luiz Sampaio , RJ, 1999

sexta - 19/11 Programa Comunidades.
Classificação 14 anos. Hip hop paulista é ativismo social. O brega amazonense se mira no espelho da sátira. Um documentário baiano termina em moqueca. As marionetes do Morrinho fazem seu desfile de carnaval. Maria Capacete xinga mas ama seus vizinhos em Santos. E por aí vai esse mapa do Brasil do ponto de vista das comunidades de morro e periferia. Em nove curtas, um mosaico da expressão autônoma de brasileiros livres para representarem a si mesmos. Cada um a sua maneira, mas com espírito eminentemente coletivo, o povo das comunidades está oxigenando o audiovisual brasileiro. Fruto de ações de inclusão social pela cultura e da conquista da auto-expressão, esse cinema anuncia um novo tempo. Filmes: Acadêmicos do morrinho - parte 1, de Chico Serra , Fábio Gavião , Nelcirlan Souza e Renato Dias , RJ, 2006; Acadêmicos do Morrinho parte 2, de Chico Serra , Fábio Gavião , Nelcirlan Souza e Renato Dias , RJ, 2006; Defina-se, Kelly Regina Alves , SP, 2002; Geyzislaine, Meu Amor, de Alunos da Amacine e Liceu Cláudio Santoro , AM, 2005; Maria Capacete, de Eduardo Bezerra e Victor Luiz dos Santos , SP, 2006; Mulher de amigo, de Leandro Monteiro , RJ, 2005; O Saci no morrinho, de Fábio Gavião , José Carlos Junior , Nelcirlan Souza e Renato Dias , RJ, 2006; Picolé, Pintinho e Pipa, de Gustavo Melo , RJ, 2007; Seu Aluisio e o mar, de Mariela Brito , Meg Medeiros e Núcleo Kabum, BA, 2006

sábado - 20/11 Terra deu, terra come, de Rodrigo Siqueira.
“Terra deu, Terra Come” narra a história de Pedro de Almeida, garimpeiro de 81 anos de idade, que comanda como mestre de cerimônias o velório, o cortejo fúnebre e o enterro de João Batista, morto aos 120 anos. O ritual sucede-se no quilombo Quartel do Indaiá, distrito de Diamantina, Minas Gerais. Ao conduzir o funeral de João Batista, Pedro desfia histórias carregadas de poesia e significados metafísicos, que nos põem em dúvida o tempo inteiro. A atuação de Pedro e seus familiares frente à câmera nos provoca pela sua dramaturgia espontânea, uma auto “mise-en-scène” instigante.

domingo – 21/11 “Bahia de Todos os Santos” e “Um dia na rampa”
- Baía de todos os santos. A trama gira em torno de um grupo de amigos inconformados com o marasmo e a vida monótona da capital baiana, na época da ditadura de Getúlio Vargas. Tonho, um mulato rejeitado pelos pais que vive de pequenos furtos no porto de Salvador, vive conflitos sociais, políticos e religiosos. Sua amante inglesa quer afastá-lo dos companheiros, mas ele se envolve num atrito entre grevistas e a polícia, terminando por roubar a amante para ajudar os perseguidos. Insatisfeita, ela o denuncia, comprometendo-o politicamente. Ele é preso e, quando volta para a família, seu drama permanece
- Um dia na rampa do mercado modelo de Salvador, onde chegavam os saveiros voltando do recôncavo trazendo produtos para comércio na capital. Tradição da capoeira, do candomblé e outros costumes são apresentados no decorrer do filme, rodado em 1955.

sexta - 26/11 - Madame Satã, de Karim Aïnouz
Lapa anos 30: o cotidiano e a intimidade de João Francisco dos Santos - malandro, artista, presidiário, pai adotivo, negro, pobre, homossexual - e seu círculo de amigos, antes de se transformar no mito Madame Satã, lendário personagem da boêmia carioca.


--
Artistas mambembes apresentam seu trabalho em espaços públicos, e depois 'passam o chapéu' pedindo contribuições espontâneas, eu mostro o que faço nos links abaixo, sou um mambembe cibernético, portanto peço que financiem as ações de Etétuba, e depositem a quantia que considerarem justa, ou a possível, na conta


Banco do Brasil
ag 3702-8
cc 19097-7


Etetuba = Arthur Leandro - telefones (91) 30872755 ou 81982430
CPF 279.114.462-53

Sobre PNC - Plano Nacional de Cultura

Congresso Nacional aprova diretrizes para política cultural

O Plano Nacional de Cultura (PNC) foi aprovado, por unanimidade, nesta terça-feira (9), na Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado Federal e segue agora para sanção presidencial. Depois de sua assinatura, o Ministério da Cultura terá 180 dias para definir metas a atingir na implementação do plano.

Demandado pela sociedade por meio da I e II Conferência Nacional de Cultura e em esforço conjunto entre o Ministério da Cultura e o Congresso Nacional, o PNC representa um avanço para a Cultura do país ao definir as diretrizes da política cultural pelos próximos 10 anos.

"A aprovação do Plano Nacional de Cultura é uma vitória muito grande, primeiro, porque institucionaliza os avanços obtidos nos últimos anos pelo governo federal na área da cultura e, depois, porque garante a continuidade das políticas culturais no Brasil", comemorou o ministro da Cultura, Juca Ferreira.

A relatora do projeto, senadora Marisa Serrano, afirmou ser necessário ao Legislativo dar continuidade aos projetos em prol da cultura brasileira para que as diretrizes estabelecidas no Plano Nacional sejam eficazes ao marco regulatório do setor: "O PNC servirá como ponto de partida para um conjunto de políticas culturais a serem construídas".

O que é o Plano Nacional de Cultura?

O Plano Nacional de Cultura (PNC) é o primeiro planejamento de longo prazo do Estado para a área cultural na história do país. Sua elaboração como projeto de lei é obrigatória por determinação da Constituição desde que o Congresso Nacional aprovou a Emenda Constitucional nº 48, em 2005.

As prioridades e os conceitos trazidos por ele constituem um referencial de compartilhamento de recursos coletivos que norteará as políticas públicas da área num horizonte de dez anos, inclusive com metas.

Seu texto foi aperfeiçoado pela realização de 27 seminários, em cada unidade da federação, resultantes de um acordo entre MinC e Comissão de Educação e Cultura da Câmara.

O que muda com a aprovação do Plano Nacional de Cultura?

Em 180 dias após a sanção do Plano Nacional de Cultura (PNC) pelo presidente da República, o Ministério da Cultura deverá estabelecer metas para implementação de seus objetivos. Nesse mesmo prazo, o MinC deverá criar o Conselho e a coordenação-executiva do plano.

A principal ferramenta de acompanhamento metas estipuladas pelo Ministério da Cultura após a promulgação do PNC será o Sistema Nacional de Informações e Indicadores Culturais (SNIIC). O SNIIC já está em desenvolvimento tecnológico e será uma ampla base de dados e indicadores culturais, que abrangerá informações sobre equipamentos culturais, grupos artísticos, órgãos gestores da cultura, conselhos municipais, editais, sobre a economia da cultura, estudos e pesquisas sobre o setor cultural, entre outros.

A plataforma será essencial ao compartilhamento de informações da cultura entre os governos federal, estadual e municipal e o setor privado. Também irá gerar indicadores da gestão pública, permitindo o conhecimento e a interação da sociedade civil com as ações e políticas.

O Plano Nacional é uma diretriz a ser seguida pelos estados e municípios para criarem seus próprios planos de cultura. A adesão, porém, não é automática ou obrigatória. O MinC irá criar protocolos de adesão para esses entes federativos e então subsidiar com consultoria técnica e apoio orçamentário a elaboração desses planos.

As linguagens artísticas também irão elaborar planos para seus setores. Os colegiados setoriais ligados ao Conselho Nacional de Política Cultural os responsáveis por isso. Música, Teatro, Dança, Circo, Museus, Culturas Populares e Culturas Indígenas já têm planos.

Os 13 princípios do PNC são:
- Liberdade de expressão, criação e fruição
- Diversidade cultural
- Respeito aos direitos humanos
- Direito de todos à arte e à cultura
- Direito à informação, à comunicação e à crítica cultural
- Direito à memória e às tradições
- Responsabilidade socioambiental
- Valorização da cultura como vetor do desenvolvimento sustentável
- Democratização das instâncias de formulação das políticas culturais
- Responsabilidade dos agentes públicos pela implementação das políticas culturais
- Colaboração entre agentes públicos e privados para o desenvolvimento da economia da cultura
- Participação e controle social na formulação e acompanhamento das políticas culturais

São objetivos do Plano Nacional de Cultura:

I - reconhecer e valorizar a diversidade cultural, étnica e regional brasileira;
II - proteger e promover o patrimônio histórico e artístico, material e imaterial;
III - valorizar e difundir as criações artísticas e os bens culturais;
IV - promover o direito à memória por meio dos museus, arquivos e coleções;
V - universalizar o acesso à arte e à cultura;
VI - estimular a presença da arte e da cultura no ambiente educacional; VII - estimular o pensamento crítico e reflexivo em torno dos valores simbólicos;
VIII - estimular a sustentabilidade socioambiental;
IX - desenvolver a economia da cultura, o mercado interno, o consumo cultural e a exportação de bens, serviços e conteúdos culturais;
X - reconhecer os saberes, conhecimentos e expressões tradicionais e os direitos de seus detentores;
XI - qualificar a gestão na área cultural nos setores público e privado;
XII - profissionalizar e especializar os agentes e gestores culturais;
XIII - descentralizar a implementação das políticas públicas de cultura;
XIV - consolidar processos de consulta e participação da sociedade na formulação das políticas culturais;
XV - ampliar a presença e o intercâmbio da cultura brasileira no mundo contemporâneo;
XVI - articular e integrar sistemas de gestão cultural.


XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX


Sobre Procultura - Programa de Fomento e Incentivo à Cultura

Encontro na Câmara dos Deputados
Programa Nacional de Fomento e Incentivo à Cultura é debatido entre MinC e diversos setores

A Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados, com apoio do Ministério da Cultura, promoveu na terça-feira, 9 de novembro, um encontro para debater o Programa Nacional de Fomento e Incentivo à Cultura (PL 6722/10). Artistas, produtores, agentes e gestores culturais de todo o país compareceram ao auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados, em Brasília, para tratar os principais pontos da proposta.

"Este encontro encerra um ciclo de debates", afirmou o presidente da CEC, deputado Ângelo Vanhoni ao iniciar a sessão. No primeiro semestre deste ano a Comissão realizou seis audiências públicas em diversas capitais brasileiras com intuito de reunir sugestões e críticas ao projeto.

Alice Portugal, relatora do PL na CEC, destacou a importância da economia da cultura para o país e acredita que o encontro é mais uma oportunidade da sociedade sanar dúvidas e propor modificações ao projeto de lei que recebeu, antes das reuniões públicas, duas mil sugestões no período em que foi submetido à consulta pública, em 2009.

Apresentação do Procultura

"Não é só uma mudança, mas o reconhecimento da grandeza cultural brasileira". Sob esta afirmativa, o secretário executivo do MinC, Alfredo Manevy, apresentou o Procultura durante o encontro.
Ele destacou que a mudança na legislação é essencial para ampliar o acesso aos recursos da cultura, financiar todas as suas dimensões, diminuir distorções entre as regiões brasileiras, fortalecer o Fundo Nacional de Cultura e estimular a economia da cultura.

Manevy explicou, ainda, que se aprovado o Procultura, serão instituídos critérios públicos de qualidade para a análise de projetos na Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (CNIC), o que "evitará subjetividades", esclareceu.

O secretário executivo destacou também a necessidade de equilibrar a parceria público-privado, pois atualmente, 90% dos recursos provem do Estado e apenas 10% da iniciativa privada.

Debate

Dentre os convidados ao debate, estava o secretário municipal de cultura de São Paulo, Carlos Augusto Machado Calil, que se declarou um crítico das leis de incentivo do país e apoiador da modernização da Lei Rouanet.

Calil acredita que o fortalecimento da parceria público-privada é a melhor saída para o fomento à cultura e que a renúncia fiscal só visa o marketing das grandes empresas. Ele disse não acreditar em dirigismo do Estado e defende que o orçamento da cultura não seja contingenciado.

Já o ator e presidente da Associação de Produtores Teatrais Independentes, Odilon Wagner, afirmou ser "dever do Estado financiar a cultura". Porém, diz que a APTI está feliz com o conjunto de leis aprovadas recentemente para o setor, como a blindagem do FNC e o Plano Nacional de Cultura. Para ele, este texto (pré-relatório do Procultura construído pela deputada Alice Portugal) "é um avanço histórico na política cultural do Brasil, principalmente para os produtores independentes".

No entanto, Odilon criticou a Instrução Normativa do MinC, em vigor desde 6 de outubro de 2010, que objetiva desburocratizar a apresentação de projetos culturais. Segundo o ator, a IN vai contra os ideais propostos pela nova lei da cultura ao oficializar órgãos públicos como usuários da lei de incentivo e pode prejudicar os produtores independentes. Ele propôs debates públicos para melhorar a iniciativa.

Patrocionadores

José Paulo Soares Martins, diretor do Instituto Gerdau, também participou do debate e lembrou que a primeira reação da instituição ao tomar conhecimento das mudanças na lei foi pessimista. Entretanto, disse que a iniciativa do MinC em democratizar o processo de modernização foi essencial para o sucesso da proposta: "Parabenizo o MinC pelo fôlego de promover debates e entender as colocações. O Procultura é resultado de contribuições da sociedade, esforço do MinC e sensibilidade do Legislativo", afirmou.

Já Eduardo Saron, diretor superintendente do Instituto Itaú Cultural, declarou que o debate é um ganho enorme para a cultura: "A mobilização dos últimos anos traz avanços imensos ao país como a criação do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC)".

Saron acredita que a concentração de recursos na Região Sudeste se deve ao fato das grandes empresas com lucro real de 4%, percentual necessário para renúncia fiscal, estarem instaladas em estados como Rio de Janeiro e São Paulo, e que é necessário incentivar o patrocínio cultural fora desse eixo.

Manifestações

A maioria dos presentes na última audiência pública sobre o projeto de lei que institui o Programa de Fomento e Incentivo à Cultura participou das reuniões realizadas nas seis capitais brasileiras. Representantes dos diversos setores da cultura - Dança, Teatro, Audiovisual, entre outros - manifestaram apoio à modernização da legislação. No geral, esperam que o Procultura atenda a necessidade de todos os segmentos.

Chico Simões, brincante do Teatro de Bonecos, afirmou ser necessário alargar o diálogo para que haja mais acesso à cultura e defendeu a desburocratização da lei. "A lei é que precisa se adequar às culturas populares", disse.

O relatório da deputada Alice Portugal deve ser votado nos próximos dias na Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados. A proposta, que já foi aprovada pela Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio, tramita em regime de prioridade e ainda precisa ser analisada pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição, Justiça e de Cidadania, antes de seguir para o Senado.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

DOC SC entra no clima do 13ºFestival de mùsica de Itajaí

O DOC.SC traz uma programação musical no mês de novembro.
Aproveitando a carona do 13° Festival de Música de Itajaí, serão exibidos episódios com edições anteriores deste importante movimento cultural de nosso estado.
Não perca!

Começa segunda, 22h, com o filme Liquidificador Musical
Reprises:
Quarta, 02:30h
Sábado, 10:30h

Produzido por Pangéia Itajaí
Apoio Cultural: Prefeitura de Itajaí e Diarinho

Confira a chamada!

http://www.youtube.com/watch?v=0N4nQA4cgn8

O Que: Liquidificador Musical, no DOC.SC
Quando: Estréia 1 de novembro, 22 horas
Onde: TVBE – Canal 21, Brasil Esperança. (canal aberto)
Quem: Pangéia Produções.

Lallo Valverde Bocchino
Produtora Pangéia - Itajaí SC
www.produtorapangeia.blogspot.com

Com a palavra: A Curadora!

Patrícia Monegatto adianta um pouquinho o que você vai ver no Cata!
O 12° Catavídeo – Mostra de Vídeos Catarinenses reúne 106 obras inscritas: 36 ficções, 21 animações, 13 vídeos-arte, 04 experimentais e 25 documentários. Uma amostra da grande pluralidade de linguagens e temáticas, que a cada edição evolui, diversifica e avança. Uma voz ativa a favor da produção catarinense. Que traz o calor da experiência, das muitas narrativas e dos personagens da cultura regional. É um tempo reservado para o público sentir e refletir sobre o que vê, e para os diretores, sobre a arte do seu ofício.

A curadoria reúne uma seleção que mistura gêneros e estilos. Ora são curtas poéticos (seja na forma ou no conteúdo); ora na representação de um real; ora paisagens surpreendentes; ora histórias cujo sentido fica em suspenso a espera da interpretação do espectador; ora realidades distintas; e ora uma seleção de curtas que trazem histórias de caos, de fúria, de medo ou até da morte. Em cada um, um relato diferente. Em todos, um desejo que os move. De resultados muitas vezes controversos para o espectador, mas fundamental para se vivenciar.

A mostra foi dividida em 3 programas. A mostra “O formato é curto, a imaginação não”, que reúne a versatilidade dos gêneros de duração até 25 minutos. A mostra “Impressões de um olhar” são na sua maioria documentários, intercalados por uma animação. E a Sessão Maldita, curtas repletos de sensações radicais e suas sentenças: medos, crimes, delírios, raivas, desejos e fantasias.

Mais um ano de Catavídeo e mais uma conquista. Assim, mais uma vez, cumprindo a função de fomentar a produção local, de provocar a reflexão, de introduzir conceitos e buscar aproximação do público com a identidade cultural regional. Grandes impressões, que a cada ano tornam-se mais significativas. A mostra se tornou um espaço importante para a visibilidade do realizador catarinense, que vem ganhando reconhecimento a cada ano no Brasil e no exterior, consequentemente o aumento da qualidade da produção catarinense é notável. Novas tecnologias abrem inúmeras possibilidades de criação e difusão.

São 106 produções, e em cada uma a possibilidade de provocar e instigar o público, reunidos de formas a gerar reações ativas do espectador, seja identificação, divergência, riso, tristeza ou desgosto.

Patrícia Monegatto
Curadora - 12º Catavídeo
http://www.catavideo.org/

Cineasta Rodrigo Grota abre o 12º Catavídeo



O CATAVÍDEO começa no dia 30 de Outubro!

Com 106 filmes inscritos, começa no sábado (30), às 19h, na Fundação Cultural Badesc, o 12º Catavídeo – Mostra de Vídeos Catarinenses. O convidado para a abertura é o diretor paranaense Rodrigo Grota. Em 12 anos de realização do festival, este número de inscrições só foi superado nas edições de 2005, com 116, e de 2006, com 126. Serão realizadas três mostras diferentes que ocorrem ao longo da semana.

Cineasta, editor e professor de cinema, Grota vai exibir Haruo Ohara, seu último curta, Satori Uso e Booker Pittman. Os filmes, todos premiados, formam a Trilogia do Esquecimento (também conhecida como Trilogia de Londrina).

Haruo Ohara, que narra a vida do imigrante, agricultor e fotógrafo japonês Haruo Ohara (1909-1999), levou cinco prêmios no Festival de Gramado desse ano. Após a sessão, o diretor conversa com o público e lança a revista Taturana, voltada para a reflexão do cinema brasileiro, especialmente o curta.

Durante o Catavídeo, serão exibidos audiovisuais nos gêneros ficção, documentário, animação, experimental e videoarte produzidos principalmente no ano de 2009 e 2010, e que representam um recorte da nova safra cinematográfica de Santa Catarina.

A mostra se caracteriza por exibir todos os vídeos inscritos, a não ser quando a qualidade das imagens ou do som é inviável ou a produção é preconceituosa, mas raramente estes problemas têm ocorrido.

Segundo a diretora Patrícia Monegatto Lopes, que faz a curadoria, esta edição se caracteriza por uma grande pluralidade temática e de linguagem, que evoluiu a cada ano, cujas produções “trazem o calor da experiência narrativa e dos personagens da cultura regional”.

Na Fundação Badesc, ocorre a mostra O formato é curto, a imaginação não, a mais ampla, com variedades de gêneros e sessões diárias, às 19h, com exibição de curtas de até 25 minutos de duração.

Também programada para a fundação, será realização a mostra Impressões de um olhar, com sessões aos finais de semana e no feriado do dia 2, sempre às 16h, a maioria documentários com mais de 25 minutos de duração e intercalados por animações.

A Sessão Maldita, agendada para o Instituto Arco-Íris, nos dias 3 (quarta) e 4 (quinta), sempre às 23h, vai exibir curtas que segundo a curadora, Patricia Lopes, “são repletos de sensações radicais e suas sentenças, que incluem medo, crimes, delírios, raivas, desejos e fantasias”.

Serão exibidas produções audiovisuais inscritas por 18 diferentes cidades catarinenses: Sombrio, Palhoça, Garopaba, Capivari de Baixo, Blumenau, Videira, Itapema, São José, Urussanga, Maravilha, Irani, Itajaí, Timbó, Anita Garibaldi, Rio do Sul, Joinville, Capinzal e Florianópolis.

No Sesc da Prainha, ocorrem as oficinas Criadores de Formatos Audiovisuais, com Marcio Motokane, coordenador artístico do Canal Futura, e Projetos Audiovisuais - da teoria à prática, com Marco Stroisch, produtor audiovisual, realizadas em parceria com o Núcleo de Produção Digital de Santa Catarina (NPD) . O Catavídeo ainda promove Stopmotion de pessoas e de coisas com o desenhista Diego de los Campos. As vagas estão esgotadas.

O Catavídeo é uma realização da Alquimídia e do Fundo Municipal de Cinema, em parceria com a Cinemateca Catarinense, Fundação Cultural Badesc e Sesc de Santa Catarina com produção da Exato Segundo Produções Artísticas.

As sessões têm duração média de 1h a 1h30min e a programação completa pode ser conferida no site www.catavideo.org.

Download das imagens de alguns Vídeos para divulgação.

SERVIÇO

O quê: abertura do 12º Catavídeo – Mostra de Vídeos Catarinenses
Quando: 30 de outubro, às 19h
Onde: Fundação Cultural Badesc. Rua Visconde de Outubro Preto, 216. Centro, Florianópolis
Quanto: entrada gratuita
O quê: Mostra Impressões de um olhar
Quando: Dias 31 (domingo), 2 (terça), 6 (sábado) e 7 (domingo), sempre às 16 horas.
Onde: Fundação Cultural Badesc. Rua Visconde de Outubro Preto, 216. Centro, Florianópolis.
Quanto: entrada gratuita

O quê: Mostra O formato é curto, a imaginação não
Quando: De 30 de outubro a 7 de novembro, sempre às 19h
Onde: Fundação Cultural Badesc. Rua Visconde de Outubro Preto, 216. Centro, Florianópolis.
Quanto: entrada gratuita
O quê: Sessão Maldita
Quando: Dias 3 (quarta) e 4 (quinta), sempre às 23h
Onde: Instituto Arco-Irís. Travessa Raticliff, 56, Centro, Florianópolis
Quanto: entrada gratuita
Fonte: www.catavideo.org

NPD-SC prorroga inscrições para oficina gratuita de Trilha Sonora



O NPD-SC prorrogou até 2 de novembro as inscrições para a oficina gratuita de trilha sonora, que será ministrada pelo violonista e compositor Eduardo Camenietzki entre 8 e 10 de novembro.
A oficina é uma parceria com a 4ª Semana de Cinema da UFSC - www.semanadecinema.ufsc.br
Inscrições no site: www.npdsc.ufsc.br

Adiada oficina de Criadores de Formatos Audiovisuais
A oficina de Criadores de Formatos Audiovisuais, que seria ministrada por Marcio Motokane neste fim de semana (30 e 31 de outubro), em Florianópolis, teve sua data adiada.

A nova oficina deve ocorrer no final de novembro. Mais informações em breve.

Inscrições abertas para oficina de Formatação de Projeto em Lages
A oficina de Formatação de Projeto, em Lages, na Serra catarinense, será ministrada pelo diretor Ricardo Weschenfelder nos dias 8 e 9 de novembro, no SESC, das 9h às 12h e das 13h30 às 18h. A realização faz parte do Projeto Cinemateca Cultural Itinerante. Confira todas as informações em www.npdsc.ufsc.br

SESSÃO MALDITA NO CATAVÍDEO


Cineclube Ieda Beck

03-04/11 – QUARTA & QUINTA FEIRA - 23h
Travessa Ratclif nº 56 - Centro, Florianópolis, SC - ENTRADA FRANCA

MALDITA!
Outubro foi o mês do Halloween, mas é em Novembro que o Cineclube Ieda Beck abre as portas do calabouço, para deixar escapar as mais bizarras e estranhas criaturas cinematográficas. Em parceria com o Catavídeo (www.catavideo.org) estamos com uma programação num horário especial: quarta e quinta-feira, as 23h, confira a MOSTRA MALDITA! do Catavídeo, com produções catarinenses repletas de sensações radicais e suas sentenças: medos, crimes, delírios, raivas, desejos e fantasias.

QUARTA 3 de novembro 23h
Erotikós - Corpos em Movimento (Melina Curi) Fpolis,16’,Ficção,2008
Alice (Luciano Rocha Pereira) Fpolis, 3’, Animação, 2009
Camarilla (Leandro Andrade) Fpolis, 6’, Experimental, 2010
Anomalia (Luiz Lima) Fpolis, 12’, Ficção, 2010
Morcegos (Rita de Cácia Oenning da Silva) Fpolis/RJ, 4’, Animação, 2010
O 100º Trabalho (Micki Mihich) Blumenau/EUA, 20’, Ficção, 2009

QUINTA 4 de novembro 23h
O Porão (Filipe Fraga) Palhoça, 5’, Ficção, 2007
Frederico (Luciano Rocha Pereira) Fpolis, 7’, Animação, 2010
Aline (Raphael Bubeck Carvalho) Blumenau, 24’, Ficção, 2009
Autorretrato Inodoro (Maria Adelina Costa) Timbó, 4’, Vídeo-Arte, 2008
A Tortura ou O Paradoxo do Teletransporte (S. P. Zambiasi) Fpolis, 12’, Ficção, 2010
Necrófila (Jone Schuster) Maravilha, 5’, Ficção, 2010

UMA REALIZAÇÃO
Cinemateca Catarinense, Pref. Municipal de Florianópolis, Funcine, Travessa Cultural, Fundação Franklin Cascaes

CONTATOS
Cinemateca Catarinense (48) 3224.7239 Sofia Mafalda (48) 9125.5306 Alan Langdon (48) 9941.2714 contato@cinematecacatarinense.or

Vídeo-documentário "Cultura, Politica e Mobilização Popular no Paraná"

vídeo-documentário "Cultura, Politica e Mobilização Popular no Paraná" que retrata a luta em torno de políticas públicas no campo da cultura e pelo direito de Povos e Comunidades Tradicionais no Paraná, o vídeo possui imagens do ato Pró-Conselho Estadual de Cultura, do primeiro acampamento de Comunidades e Povos Tradicionais do Paraná organizado pela Rede Puxirão e de entrevistas realizadas durante os trabalhos do Pontão de Cultura Kuai Tema.

http://www.youtube.com/watch?v=zP43dRVkvIY

FONTE - Gustavo Castro,
www.soylocoporti.org.br
Pontão de Cultura Kuai Tema - nosdarede.org.br

CURTA O CURTA ANTES DO LONGA

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Mostra de Animação A Caverna



Terça-feira, dia 26 de outubro, às 20 horas, começa mais uma Mostra de Animação A Caverna. A programação conta com a exibição das animações do artista italiano BLU e das animações participantes da mostra oficial, com destaque para Imagine uma menina com cabelos de Brasil... de Alexandre Bersot (vencedor do anima mundi 2010) e Os anjos no meio da praça de Alê Camargo.

Para maiores informações e a programação completa: www.mostracaverna.com ou www.mostracaverna.wordpress.com

Rodrigo Amboni
www.omagoaudiovisual.com

Diretor artístico convidado do Festival do American Film Institute, David Lynch seleciona cinco clássicos



Cena de "Janela Indiscreta", de Alfred HItchcock
No papel, inédito em sua carreira, de diretor artístico convidado do Festival do American Film Institute, o cineasta americano David Lynch fez uma seleção de cinco clássicos do cinema mundial para serem exibidos no evento.
A lista, preciosa, para qualquer cinéfilo que se preze reúne: "A Hora do Lobo", de Ingmar Bergman; "Lolita", de Stanley Kubrick; "Meu Tio", de Jacques Tati; "Janela Indiscreta", de Alfred Hitchcock, e "Sunset Boulevard", de Billy Wilder.

Parte do programa paralelo cuidado por Lynch, o festival vai exibir o primeiro filme de Lynch, "Eraserhead", que foi feito enquanto o cineasta estudava no Centro de Estudos Cinematográficos Avançados do AFI.

Lynch estará presente no festival no dia 6 de novembro para apresentar a sessão dupla de "Eraserhead" e "Sunset Boulevard". O evento se realizará em Los Angeles de 4 a 11 de novembro.

Filmes orientais constroem retratos femininos curiosos

Os dois filmes são construídos sobre a interpretação das duas atrizes. A estreante coreana Jeong-hee Yoon é Mija, uma avó devotada, que cuida do neto adolescente, trabalha fazendo faxina e cuidando de um homem idoso. Sua rotina muda quando ela se inscreve num curso de poesia num centro cultural perto de sua casa. Já Maki Horikita, de 22 anos e mais de 50 títulos no currículo, é a jovem Naomi, que perde a memória e tenta reconstituir sua identidade por meio de fotos e relatos de amigos.



Jeong-hee, de “Poesia”, elabora suas personagem de forma contida, com poucas palavras, sempre melancólica, e num grande dilema envolvendo seu neto. O adolescente é acusado, junto com outros amigos, de estuprar repetidamente uma garota na escola, que acaba se suicidando. Os pais dos outros garotos envolvidos procuram Mija, pois pensam em indenizar a família da garota para que seus filhos não sejam processados.



Cena do coreano ''Poesia'', de Lee Chang-Dong
Mija tem poucos recursos. Sua filha mora em outra cidade e quase nunca vê o próprio filho, que está sob os seus cuidados. A trajetória desta avó será em busca de conseguir a quantia necessária para que o futuro de seu neto não seja prejudicado. O garoto, por sua vez, passa o tempo trancado no pequeno quarto, na frente do computador ou da televisão.

Já a protagonista de “Memórias de uma adolescente amnésica”, Naomi, usa da palavra como forma de se reencontar no mundo. Como se lembra de poucas coisas do próprio passado, precisa confiar naquilo que seu pai e amigos lhe contam. Ace (Anton Yelchin, de “Star Trek”) é o típico adolescente da escola, praticante de esportes, popular e disputado pelas garotas. Embora ele seja seu namorado, Naomi encontra mais prazer na companhia de seu amigo Mirai Hasegawa (Yuya Tegoshi), e de Yuji (Kenichi Matsuyama), que a ajudou quando bateu a cabeça.

Curiosamente, “Memórias de uma adolescente amnésica” segue a rotina dos filmes adolescentes de Hollywood, embora a trama seja situada em Tóquio, numa escola onde se fala inglês e japonês. Os alunos fazem coisas típicas de filmes norte-americanos como yearbook – livro de fotos - e homecoming – baile de formatura.

Este detalhe confere uma certa aura pop ao longa, que se baseia num romance de Gabrielle Zevin, que também assina o roteiro. É um filme destinado ao público jovem – mas não apenas.

ALYSSON OLIVEIRA
________________________________________
"POESIA", de Lee Chan-dong (139')
Coreia do Sul. Falado em coreano. Legendas em português. Indicado para 18 anos.
UNIBANCO ARTEPLEX 1 - 25/10/2010 - 16:10 - Sessão: 313 (Segunda)

"MEMÓRIAS DE UMA ADOLESCENTE AMNÉSICA" , deHans Canosa (120')
Japão, EUA. Falado em japonês, inglês. Legendas em inglês. Legendas eletrônicas em português.
CINEMATECA - SALA PETROBRAS -25/10/2010 - 15:00 - Sessão: 350 (Segunda)
CINE LIVRARIA CULTURA 1-02/11/2010 - 19:30 - Sessão: 1152 (Terça)
UNIBANCO ARTEPLEX 2-04/11/2010 - 19:50 - Sessão: 1317 (Quinta)

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

FESTIVAIS DE CURTAS

Breve disponibilizaremos o serviço da programação.
PROGRAMA AVEDIKIAN 1 (PROGRAMA AVEDIKIAN 1):
Dia 26/10/2010 – Terça-feira (FAAP)
11:00
BOM DIA SENHOR (BONJOUR MONSIEUR), de Serge Avedikian (10'). FRANÇA. Falado em francês,
armênio. Legendas em francês. Legendas eletrônicas em português.
ADEUS MADAME (AU REVOIR MADAME), de Serge Avedikian (15'). FRANÇA. Falado em francês,
armênio. Legendas em francês. Legendas eletrônicas em português.
BEBEMOS A MESMA ÁGUA (NOUS AVONS BU LA MEME EAU), de Serge Avedikian (72'). FRANÇA.
Falado em francês, armênio, turco. Legendas em francês. Legendas eletrônicas em português.
15:00
PROGRAMA AVEDIKIAN 2 (PROGRAMA AVEDIKIAN 2):
HISTÓRIA CADELA (CHIENNE D'HISTOIRE), de Serge Avedikian (15'). FRANÇA. Falado em francês.
Legendas em inglês. Legendas eletrônicas em português.
SENHORAS E SENHORES (M´SIEURS DAMES), de Serge Avedikian (15'). FRANÇA. Falado em francês.
Legendas eletrônicas em português.
MISSÃO CUMPRIDA (MISSION ACCOMPLIE), de Serge Avedikian (33'). FRANÇA. Sem diálogos.
LUX AETERNA (LUX AETERNA), de Serge Avedikian (11'). FRANÇA. Sem diálogos. Legendas em francês.
LINHA DE VIDA (LIGNE DE VIE), de Serge Avedikian (12'). FRANÇA. Falado em francês. Legendas em
inglês. Legendas eletrônicas em português.
19:00
PROGRAMA AVEDIKIAN 3 (PROGRAMA AVEDIKIAN 3):
Haverá debate após a sessão
O QUINTO SONHO (LE CINQUIEME RÊVE), de Serge Avedikian (43'). FRANÇA. Sem diálogos.
TERRA EMOTA (TERRA EMOTA), de Serge Avedikian (10'). FRANÇA. Sem diálogos. Legendas em
francês.
UM BELO DIA (UN BEAU MATIN), de Serge Avedikian (12'). FRANÇA. Falado em francês. Legendas em
inglês. Legendas eletrônicas em português.
CONHECI BEM O SOL (J´AI BIEN CONNU LE SOLEIL), de Serge Avedikian (15'). FRANÇA. Falado em
francês. Legendas em inglês. Legendas eletrônicas em português.
PROGRAMA HANNA SCHYGULLA (PROGRAMA HANNA
SCHYGULLA)
Dia 03/11/2010 – Quarta-feira (FAAP)
15:00
PROTOCOLOS DOS SONHOS (PROTOCOLES DE RÊVES - TRILOGIE), de Hanna Schygulla (22').
ALEMANHA. Falado em alemão. Legendas em inglês. Legendas eletrônicas em português.
ORAÇÃO (STOSSGEBET), de Hanna Schygulla (15'). FRANÇA. Falado em alemão, francês. Legendas
eletrônicas em português.
MOI ET MON DOUBLE, de Hanna Schygulla (13'). FRANÇA. Falado em francês. Legendas eletrônicas
em português.
HANNA HANNAH (HANNA HANNAH), de Hanna Schygulla (7'). ALEMANHA. Falado em alemão,
ídiche, inglês, francês. Legendas em inglês. Legendas eletrônicas em português.
LUCERO (LUCERO), de Hanna Schygulla (14'). FRANÇA. Falado em espanhol. Legendas eletrônicas em
português.
PROGRAMA PELECHIAN (PROGRAMA PELECHIAN):
AS ESTAÇÕES (YERANAKNER), de Artavazd Pelechian (30'). ARMÊNIA. Sem diálogos.
NÓS (MENK), de Artavazd Pelechian (30'). ARMÊNIA. Sem diálogos.
VIDA (KIANK), de Artavazd Pelechian (7'). ARMÊNIA. Sem diálogos.
FIM (VERDJ), de Artavazd Pelechian (10'). ARMÊNIA.Sem diálogos.
PROGRAMA F. J. OSSANG (PROGRAMA F. J. OSSANG):
SILENCIO (SILENCIO), de F.J. Ossang (21'). FRANÇA, PORTUGAL. Falado em francês. Legendas em
inglês. Legendas eletrônicas em português.
CIEL ETEINT !, de F.J. Ossang (23'). FRANÇA, RÚSSIA. Falado em francês. Legendas em inglês.
Legendas eletrônicas em português.
VLADIVOSTOK, de F.J. Ossang (5'). FRANÇA, RÚSSIA. Falado em francês. Legendas em inglês.
Legendas eletrônicas em português.
PROGRAMA BRASIL 1 (PROGRAMA BRASIL 1):
O SUSSURRO (O SUSSURRO), de Barbara Sturm (12'). BRASIL. Falado em português. Legendas em
inglês.
EM UMA NOITE ESCURA, AS ROSAS SÃO AMARELAS (EM UMA NOITE ESCURA, AS ROSAS SÃO
AMARELAS), de Rodrigo Chevas (22'). BRASIL. Falado em português. Legendas em inglês.
O VOO DO AVESTRUZ (O VOO DO AVESTRUZ), de Clara Izabela, Zé Inlê (20'). BRASIL. Falado em
português.
O VOO DE TULUGAQ (O VOO DE TULUGAQ), de André Guerreiro Lopes (9'). BRASIL. Sem diálogos.
Legendas em inglês.
PROGRAMA BRASIL 2 (PROGRAMA BRASIL 2):
Dia 04/11/2010 Quinta-feira, no Centro Cultural Banco do Brasil
14:30
ZÉ[S] (ZÉ[S]), de Piu Gomes (15'). BRASIL. Falado em português.
PINBALL (PINBALL), de Ruy Veridiano (19'). BRASIL. Falado em potuguês.
BARTÔ (BARTÔ), de Gunter Sarfert, Onon (17'). BRASIL. Falado em português.
O CAPITÃO CHAMAVA CARLOS (O CAPITÃO CHAMAVA CARLOS), de Andradina Azevedo, Dida
Andrade (18'). BRASIL. Falado em português. Legendas em inglês.
PROGRAMA BRASIL 3 (PROGRAMA BRASIL 3):
GERAL (GERAL), de Anna Azevedo (15'). BRASIL. Falado em português. Legendas em inglês.
CINEMAIEUTICA (CINEMAIEUTICA), de Rodrigo Falk Brum (12'). BRASIL. Falado em português. Legendas em
inglês.
PIMENTA (PIMENTA), de Eduardo Mattos (13'). BRASIL. Falado em português.
RATÃO (RATÃO), de Santiago Dellape (20'). BRASIL. Falado em português. Legendas em inglês.
A CONQUISTA DO ESPAÇO (A CONQUISTA DO ESPAÇO), de Chico Deniz (15'). BRASIL. Falado em
português.
PROGRAMA BRASIL 4 (PROGRAMA BRASIL 4):
CONTRA-GOLPE (CONTRA-GOLPE), de Pedro Gueller (8'). BRASIL. Falado em português.
HR. KLEIDMANN (HR. KLEIDMANN), de Marcos Fausto (15'). BRASIL. Falado em português. Legendas
em inglês.
O AR (O AR), de Enilson Silva Gonçalves (12'). BRASIL. Falado em português. Legendas em inglês.
QUANDO O TEMPO DA REFLEXÃO ACABAR (QUANDO O TEMPO DA REFLEXÃO ACABAR), de Vinícius
Guerra (15'). BRASIL. Falado em português.
TOTEM (TOTEM), de Donny Correia (13'). BRASIL. Falado em português.
MOSTRA-ME (MOSTRA-ME), de Camilo Bianchini Cassoli (13'). BRASIL. Falado em português.
Legendas em inglês.
LIVRARIA ORNABI (LIVRARIA ORNABI), de Camilo Cassoli (16'). BRASIL. Falado em português.
Legendas em inglês.
PROGRAMA PELECHIAN 2 (PROGRAMA PELECHIAN 2):
NOSSO SÉCULO (MERDARÉ), de Artavazd Pelechian (50'). ARMÊNIA. Sem diálogos.
O COMEÇO (SKIZB), de Artavazd Pelechian (10'). ARMÊNIA. Sem diálogos.
OS HABITANTES (TARVA), de Artavazd Pelechian (10'). ARMÊNIA. Sem diálogos.
PROGRAMA AXN (PROGRAMA AXN):
Dia 04/11/2010 – Quinta-feira (FAAP)
Indicado para: 18 anos.
11:00
SAMPARKOUR, de Wiland Pinsdorf (7'). BRASIL. Falado em português.
O TROCO (O TROCO), de André Rolim (11'). BRASIL. Falado em português.
REMINISCÊNCIAS (REMINISCÊNCIAS), de Alysson Muritiba (19'). BRASIL. Falado em português.
ENROQUE, de Pablo Bondesan (15'). ARGENTINA. Falado em espanhol. Legendas em português.
EL HIJO DE LA 40, de Erika Bagnarello (18'). COSTA RICA. Falado em espanhol. Legendas em
português.
LA UVA, de Alexandra Henao (13'). VENEZUELA. Falado em espanhol. Legendas em português.
KARAI NORTE, de Marcelo Martinessi (20'). PARAGUAI. Falado em espanhol. Legendas em português.
NUESTRA HOSPITALIDAD, de Pablo Abdala, Joaquín Peñagaricano (13'). URUGUAI. Falado em
espanhol. Legendas em português.
IGUALDAD, de René Herrera (11'). MÉXICO. Falado em espanhol. Legendas em português.
ESTO ES UN REVOLVER, de Pablo González (21'). COLÔMBIA. Falado em espanhol. Legendas em
português.
THEN AND NOW BEYOND BORDERS (THEN AND NOW
BEYOND BORDERS):
GAO, de Robert Wilson (2'). EUA. Falado em inglês. Legendas eletrônicas em português.
CARNAVAL DOS DEUSES (CARNAVAL DOS DEUSES), de Tata Amaral (7'). BRASIL. Falado em português.
DISTANTE UN PADRE, de Masbedo (8'). ITÁLIA. Falado em italiano. Legendas em português.
LA LONGUE MARCHE DU CAMÉLÉON, de Idrissa Ouédraogo (7'). BURKINA FASSO. Falado em francês.
Legendas em português.
CHIMÈRES ABSENTES, de Fanny Ardant (12'). FRANÇA. Falado em francês. Legendas em português.
THE ACCORDION, de Jafar Panahi (9'). IRÃ. Falado em farsi. Legendas eletrônicas em português.
ANTONIONI SOBRE ANTONIONI (ANTONIONI SU ANTONIONI)
LE REGARD IMPOSE, de Carlo di Carlo
27/10/2010 Quarta-feira – 19:00 (FAAP)
28/10/2010 Quinta-feira – 21:40 (Cine Livraria Cultura 2)
28/10/2010 Quinta-feira – 16:40 (Unibanco Arteplex 5)
04/11/2010 Quinta-feira – 21:30 (Unibanco Arteplex 5)
de Carlo di Carlo (55'). ITÁLIA. Falado em italiano. Legendas em inglês. Legendas Eletrônicas em português. Curta: LE REGARD IMPOSÉ, de
Carlo di Carlo (24'). Indicado para: LIVRE. Haverá debate após a sessão.
MICHEL CIMENT, A ARTE DE PARTILHAR FILMES e MANOEL DE
OLIVEIRA ABSOLUTO, de Leon Cakoff
29/10/2010 Sexta-feira - 19:00 (FAAP)
A pedido da Mostra a indicação etária dos flmes foi sugerida por seus
respectivos produtores.
Programação sujeita a alterações.